“Pensar grande, começar pequeno e agir rápido: isso pode transformar o mundo”, diz o lema da Toca

fazenda da toca

O fornecedor que caiu do céu.

A fazenda da toca é um dos principais fornecedores do Maní: são quase 2.300 hectares de produção orgânica certificada e dividida em quatro atividades: frutas, leite, ovos e grãos.

Nada ali é desperdiçado: o resíduo das aves aduba a pastagem das vacas, o esterco das vacas produz biofertilizantes que adubam fruteiras e os resídios industriais das casas e dos jardins viram compostos que retornam à horta, ao pomar e à plantação de grãos – um sistema completamente integrado e autossustentável.

São 2.300 hectares – ou 2.130 campos de futebol – entre matas nativas, moradias, áreas de pesquisa em agricultura regenerativa e o Instituto da Toca.

“Pensar grande, começar pequeno e agir rápido: isso pode transformar o mundo”, esse é um dos pilares filosóficos da fazenda da toca. Com isso em mente o espaço também sedia diversos cursos, como o de agricultura sintrópica, conceito criado por Ernst Gotsch, um suíço que vive no brasil há mais de 30 anos, que promete inovar a produção agrícola de uma forma mais harmoniosa com a natureza. Ou o curso de doma racional de novilhas leiteiras, aberto a outros criadores de gado interessados em saber como obter esses animais mansos e adaptados ao sistema de ordenha antes do primeiro parto.

Mais do que fornecer ao Maní uma série de produtos naturais, entre laticínios, ovos e frutas, trata-se de parear com o restaurante uma mesma forma de enxergar a vida e o mundo. uma mesma forma de fazer negócios e valorizar as relações entre pessoas e entre o ser humano e a natureza. da fazenda da toca para a mesa do Maní: uma viagem sem escalas.